fbpx

Redes Sociais:

Image Alt

Serviço de bloqueio de telemarketing do Procon-SP cresce 76% em 2021

Serviço de bloqueio de telemarketing do Procon-SP cresce 76% em 2021

Fernando Capez, diretor do órgão, lista crédito consignado, clínicas populares e serviços funerários no topo do ranking de reclamações

 

Primeiro cadastro de bloqueio de chamadas de telemarketing do país, o “Não me ligue” do Procon-SP, criado em 2008, registrou um aumento de 76,4% no número de inscrições de janeiro a abril deste ano comparado ao mesmo período de 2020. Foram 26.223 contra 14.864. De acordo com Fernando Capez, diretor executivo da entidade, o serviço soma quase três milhões de telefones cadastrados no total.

Na avaliação de Capez, os números mostram, de um lado, que o sistema funciona e, de outro, medidas “desesperadas” das empresas diante da crise.

Fernando Capez explica os motivos para o crescimento do telemarketing

“À medida que a crise avança, as empresas apelam para todo tipo de tática de propaganda abusiva, quase sempre com resultados desastrosos. Na lista de mais reclamados, atuais, além do consignado, no topo do ranking, chama a atenção clínicas populares e serviço funerário. Já dobramos o número de multas”, explicou Fernando Capez.

“Portal nacional” seria alternativa para combate à prática

Junto com o Procon de São Paulo, dirigido por Fernando Capez, os Procons do Rio de Janeiro, Tocantins, Rio Grande do Sul, Minas e Mato Grosso também mantêm cadastro de bloqueio de telemarketing. Juntos, somam 4 milhões de telefones cadastrados.

Na avaliação de Filipe Vieira, presidente da Procons Brasil, o ideal seria ampliar o portal nacional, gerido pelas empresas de telecomunicações, (o “Não me perturbe”), além de ampliar o cadastro para outros segmentos. “Um portal nacional é mais eficiente. Iremos fazer essa proposta. O primeiro setor que deveria ser integrado seria o de varejo”, explica Vieira.