Image Alt

Prevent Senior responde ao Procon-SP

Prevent Senior responde ao Procon-SP

notícias & releases

Prevent Senior responde ao Procon-SP

Operadora de saúde não esclareceu todas as informações solicitadas e @proconsp reitera pedido de esclarecimentos

Publicado em 6 de abril de 2020

O @proconsp, vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania, notificou a Prevent Senior indagando sobre a ocorrência da morte de 79 idosos no Hospital Sancta Maggiore, solicitando explicações sobre como a empresa tratou a questão e quais medidas estão sendo adotadas para evitar a ocorrência de evento com a mesma dimensão. Em resposta encaminhada, a operadora de Saúde não esclareceu todas as informações solicitadas.

Apesar de ter sido indagada expressamente, não informou se as mortes tiveram como causa mortis contágio por Covid-19, quantos casos foram confirmados, em quanto tempo foi possível confirmar o diagnóstico e se todos os pacientes envolvidos tiveram como causa da internação suspeita ou confirmação de contágio por Covid-19; nesse último ponto, alegou sigilo médico e proteção legal.

Deixou de elucidar como se dá a triagem para indicação do encaminhamento dos pacientes às unidades dedicadas exclusivamente ao tratamento da Covid-19; e, ainda que tenha informado o número total de beneficiários (469.871), não detalhou por faixa etária – informação importante para que se possa mensurar se os leitos já disponíveis e os passíveis de conversão seriam suficientes para atendimento dos pacientes que pertencem aos grupos de risco.  

Quando perguntada sobre as providências para evitar a ocorrência de evento com a mesma dimensão, restringiu-se a informar as medidas preventivas de orientação de higiene e sociais, sem restar comprovado que perseguiu a fundo as causas das mortes em massa ocorridas nas unidades, conformando-se com as medidas padrão de higiene e restrição de circulação.

Sobre os prazos para o resultado dos testes e a disponibilização destes, alega que os prazos ficam a critério dos laboratórios, mas não informou sobre o tempo em que são disponibilizados. E quando informa que os testes são realizados em pacientes da rede, não deixa claro os critérios utilizados para realização destes.

A operadora deixou ainda de esclarecer como se dá a triagem dos casos e o direcionamento para as unidades exclusivas de atendimento e/ou tratamento da Covid- 19.

O @proconsp reitera o pedido de esclarecimento à empresa, especificamente no que diz respeito às seguintes questões: se as mortes noticiadas em toda a imprensa tiveram como causa mortis contágio por Covid-19, quantos casos foram confirmados e em quanto tempo foi possível confirmar o diagnóstico; quantos leitos poderiam ser convertidos em UTI e em quanto tempo se daria essa conversão; detalhamento do número de consumidores por faixa etária (considerando os 469.871 beneficiários com contrato ativo); quais são os critérios utilizados para realização dos testes para Covid-19 e em quanto tempo os resultados têm sido fornecidos pelos laboratórios utilizados pela empresa.

Procon-SP
Assessoria de comunicação